Main Page Sitemap

Se a vida é um jogo então vamos ganhar




se a vida é um jogo então vamos ganhar

Ela exclui certos meios de alcançar este fim.
Contudo, pode-se basear uma filosofia prática numa leitura literal, tanto quanto metafórica, da vida.
Praticamente ninguém quer acreditar que a vida é um mero jogo.
Sidgwick considera que se trata de um preceito ou mandamento irredutível e, portanto, passível de descoberta somente pela intuição.Ela tem a intenção de excluir estes meios.O seu objectivo não como ganhar 10000 creditos no imvu é apenas chegar ao outro lado mas fazê-lo usando exclusivamente os meios permitidos pelas regras, nomeadamente, correr a partir de uma certa distância e depois saltar.Se o forem, a tentativa de as justificar poderá não ser logicamente impossível, mas apenas psicologicamente improvável.Ora, se a única razão para aceitar semelhante regra for a de participar na actividade que essa aceitação torna possível, eu diria que essa actividade consiste em jogar um jogo.Decerto que alguém teria reparado nisso.Ao invés, a investigação poderia revelar que a vida é constituída por uma série de jogos diferentes, talvez dependendo de diferenças entre culturas, nações, classes, vocações ou pessoas.Contudo, em primeiro lugar, ninguém crê que a vida pode ser qualquer coisa, por exemplo, meio quilo de latão ou a raiz quadrada de dois.Bastará observar que é isso que sucede.Neste ponto poder-se-ia objectar que ainda que seja possível jogar um jogo sem o saber, parece improvável que a totalidade da vida pudesse ser um jogo desses.Mas divertirmo-nos para nos podermos esforçar parece correcto.Poderíamos então perguntar promoções sorteios internet se é realmente possível a vida ser um jogo, uma vez que poderá parecer estranho, se não mesmo absurdo, supor que alguém poderia jogar um jogo sem o saber.Pois o meu propósito não é só explicar satisfatoriamente os jogos mas também, e independentemente dessa questão, mostrar que a vida pode ser o tipo de coisa, seja ela qual for, que a minha explicação descreve.Tal tese poderia encontrar sustentação no facto de ser notoriamente difícil apresentar razões a favor de aceitar regras morais que se pretendam fundamentais.




Mas é possível outra perspectiva.Suponho que a possibilidade de a vida ser um jogo no qual somos peças movidas por Deus é inverificável, porque verificar que algo é um jogo requer como fazer uma alimentação balanceada para ganhar massa muscular informação acerca das intenções dos participantes, e não temos acesso às intenções de Deus.Esta observação de Aristóteles sem dúvida granjeia ainda um consenso quase universal.Ou poderão pensar que a regra é em si uma regra utilitarista, ou seja, que não é uma regra que impõe limites aos meios de aumentar o prazer (algo que a regra moral faz) mas uma regra que, na realidade, define uma estratégia para aumentar.O primeiro pode ser formulado brevemente e é uma adaptação de Freud.A equidade é uma exigência para fazer da maximização do prazer o fim de um jogo.A utilidade da explicação é óbvia: permitir-me-á considerar a possibilidade de a vida ser um jogo inconsciente.Trata-se de visões, seguramente.A descoberta de que a vida é um jogo poderia revelar fontes inimaginadas de acção humana e estimular façanhas inesperadas do engenho humano.Neste jogo a morte é o fim que os jogadores procuram e as regras proíbem o uso de certos meios para alcançá-lo.
Não sabemos que jogamos este jogo, talvez, porque não queremos saber que procuramos a morte ou porque preferimos pensar que a restrição do suicídio é um mandamento moral.
Não tendo conseguido apresentar razões convincentes para aceitar uma determinada regra, mas recusando-se a conceder a possibilidade de a regra ser aceite porque se deseja jogar o jogo no qual ela figura como regra, o filósofo moral insiste que procurar essas razões é uma loucura.


[L_RANDNUM-10-999]
Sitemap